Tags

, , ,

 

(Enzo Paiva)

Antigamente, havia dois vilarejos que, apesar de vizinhos, mantinham uma relação neutra; nem boa, nem ruim. Certo dia, um homem muito carinhoso e dedicado decidiu decorar sua casa com uma escultura representando sua família, a esposa e os filhos. Porém, como não havia ali ninguém com habilidade artística para tal, ele decidiu fazer a escultura por si só. Certamente não seria a coisa mais bela do universo, mas não deixaria de ter uma importância afetiva. Passou dias e dias pensando sobre como seria a figura, desenhando e redesenhando os esboços, tudo isso em segredo, visto que queria fazer uma grande surpresa. Quando se deu por satisfeito, ele escalou a montanha mais alta da região e tirou da enorme rocha uma lasca de medidas e consistências perfeitas. Em seguida voltou para casa.

Algumas horas depois de pegar a pedra, ele ouviu um barulho estrondoso, igual a nada que ouvira antes. Olhou em volta de sua casa, nada parecia ter mudado. Então, ele simplesmente voltou para sua oficina, ignorando o ocorrido.

Dias depois, o vilarejo estava agitado. Os vizinhos, desesperados, guardavam seus pertences dentro de casa, carregando toda a comida que conseguiam suportar com as mãos. O homem, que de nada sabia, perguntou a um dos líderes do vilarejo o que estava acontecendo e lhe responderam que o vilarejo vizinho havia declarado guerra contra eles. Tarde da noite, o vilarejo foi atacado por um exército que, mesmo não sendo muito grande, fora capaz de provocar muitos estragos. O caos reinava, o fogo se espalhava e até mesmo pedras eram atiradas em todas as direções. Apesar da confusão, o homem observava tudo com tranquilidade, até que uma flecha invadiu sua casa acertando-lhe a esposa. O homem, enfurecido, escondeu os filhos no porão da casa e saiu às ruas.

Com apenas uma faca, mas ensandecido, o homem jurou vingança. Porém, tão logo saiu de casa, se deparou com uma imagem que o fez hesitar. Centenas de pessoas mortas ardiam no chão ensanguentado do vilarejo. Atordoado, o homem quis saber a razão de tudo aquilo, então perguntou a um cidadão, completamente assustado, por que a guerra havia iniciado. O sujeito lhe disse que o outro vilarejo havia sido atingido por pedras caídas de uma montanha e, como não havia outros povos ali, o vilarejo vizinho acreditou ter sido atacado pelos cidadãos da cidade em chamas.

Após ouvir isso, o homem se sentiu pior do que já estava, pois foi responsável por centenas de mortes, inclusive da própria esposa. Ele nunca havia sentido algo parecido com aquilo que lhe invadia as entranhas.