Tags

, ,

O texto abaixo (em pdf aqui) foi escrito por uma aluna minha a partir de uma atividade proposta nos Estudos Narrativos. A Giulia deve ter 13, 14 anos, mas já é capaz de expressar sensibilidades e técnicas incomuns mesmo em pessoas 13, 14 anos mais velhas que ela. A análise coletiva do texto consumiu de 50 a 60 minutos, ou melhor: a análise coletiva do texto proporcionou de 50 a 60 minutos de deleite e inspiração. A fim de estimulá-lo[a] a ler o texto com carinho, generosidade e atenção, mas sem limitar ou direcionar em excesso sua leitura, cito aqui alguns pontos que me parecem preciosos:

*A Giulia não se apressa em apresentar o narrador. Em vez disso, por meio de uma descrição econômica e precisa do espaço – e do modo como este interfere no humor do protagonista -, ela começa a rascunhar-lhe os desejos e as vontades;

* A experimentação sensorial como metáfora para o amadurecimento (note que todos os 5 sentidos são citados no texto) serve como dica para nossa própria postura diante da vida. Quantos de nós sabemos que o paladar se treina? Quantos de nós procuramos tornar o olfato mais preciso? Quantos de nós usufruímos conscientemente do tato? Mesmo a visão e a audição, que julgamos conhecer bem, costumam ser subutilizadas…;

*A construção psicológica do narrador faz com que nós acreditemos que ele exista – ou que ele pudesse existir.

Bom, falei muito e disse pouco. Usufrua o texto e sinta, você mesmo, seus sabores.

Giulia  - redação 1